, ,

Sam Phillips, a inconfundível voz por trás dos “lalalás”

Com certeza você já deve ter reparado na trilha sonora de Gilmore Girls e se perguntado “quem é o gênio envolvido nisso?”. Talvez você não saiba, mas a parte musical da série é comandada por um nome de peso da música norte-americana, que já gravou 15 álbuns e participou da série como uma trovadora no episódio “Partings“. Durante as sete temporadas foi responsável por toda a trilha incidental (score) e também pelas músicas que embalavam as cenas. Seu nome é Sam Phillips, cantora e compositora que estará de volta com seus lalalás no revival original da Netflix e nós te contamos como foi todo o processo de criação das músicas, desde o começo até o fim da série.

Em 2000, quando recebeu uma ligação de Amy Sherman-Palladino com a proposta para fazer a trilha de uma desconhecida série de TV intitulada The Gilmore Girls, Phillips ficou receosa por não saber onde estava pisando. Mas assim que o encontro das duas aconteceu, ali ela já percebera que seriam grandes amigas e que esta não seria apenas mais uma série de TV comum.

Arquivo pessoal

“Amy não se importou com a minha falta de experiência no ramo de trilhas sonoras para a televisão porque ela não queria algo comum para Gilmore Girls.”

Palladino queria que a música fosse uma das personagens na história — como se fosse a música dentro das cabeças da mãe e da filha. Pedido feito, pedido realizado. Sam escreveu e cantou pequenas melodias com “lás” e vocais de fundo ao invés de letras, para criar aquele personagem sonoro sem que passasse por cima do maior deles: o diálogo rápido. Nasciam os lalalás.

Assim que a série estreou na extinta The WB, Phillips começou a receber e-mails e comentários que chamavam sua música de “lalás” e as pessoas relatavam como seu trabalho havia mudado suas vidas. Algumas das músicas eram feitas em um estúdio de gravação, mas a maior parte eram gravadas em um estúdio caseiro que Sam dividia com o então marido, T-Bone Burnett, renomado músico, compositor e produtor. Até o momento, ela ainda não havia percebido o sucesso que o programa estava fazendo:

Em uma manhã, desci as escadas ainda de pijamas e digitei o código para desligar nosso sistema de segurança. Eu estava tão sonolenta que acabei digitando o código errado – aquele que diz ‘Socorro! Estou sendo feita de refém em minha própria casa!’. Minutos depois, eu estava começando a fazer café para minha garotinha e dois policiais extremamente bonitos bateram em minha porta. Depois que revistaram a casa e eu expliquei o mal entendido, um deles notou meus equipamentos de gravação e perguntou que tipo de música eu fazia. Respondi que estava compondo para uma nova série chamada Gilmore Girls. Fiquei chocada quando ele respondeu brincando ‘Quintas, às 8 da noite na WB – Eu amo essa série’!

Sam conta que as reuniões musicais semanais mais pareciam uma festa entre amigas quando Amy e a produtora Helen Pai estavam juntas. Elas brincavam com a comida e davam nomes dos personagens para cada petisco. E assim foi, durante seis maravilhosos anos, até a saída de Palladino do comando da série.

Era a última noite de filmagens do último episódio escrito e dirigido por Amy Sherman-Palladino antes que ela deixasse o show. Sonic Youth, Grant-Lee Phillips, e Sparks já haviam rodado suas cenas. Luke e Lorelai discutiam na lanchonete e ela saiu andando, de coração partido, passando por Phillips na rua: “Amy pediu que eu tocasse Taking Pictures. Ao invés de lalalás eu cantei ‘Nostalgia isn’t what it used to be…‘”, detalha a cantora.

Ri e chorei com Lorelai e o resto dos personagens, sentindo como se eles estivessem falando diretamente comigo. Esta é uma das muitas razões pelas quais significou muito pra mim cantar naquela esquina em Stars Hollow.

Reprodução/Warner Bros. Television
Reprodução/Warner Bros. Television

“Depois que acabamos e o elenco e a equipe estavam indo embora, alguém, em um clássico estilo Lorelai, abriu uma garrafa de licor que eles contrabandearam para o set. Alguns levantaram suas canecas de plástico e fizeram um brinde à Amy… e às meninas.”

Após a saída da showrunner, Phillips continuou cuidando da trilha de Gilmore Girls. E ela retorna para o especial em quatro partes de 90 minutos da Netflix com lalalás e acordes inéditos para grudarem em nossas cabeças por muitos e muitos anos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

O que você achou?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Jackson está de volta (mas nada de Sookie ainda)

Os ships em Gilmore Girls