Há seis palavras que têm um significado muito especial para os fãs de Gilmore Girls: “Where you lead, I will follow“.

Essas seis palavras foram ouvidas no começo de todos os 153 episódios da série ao longo de sete anos, e elas simbolizam a relação entre as personagens principais, Rory (Alexis Bledel) e Lorelai Gilmore (Lauren Graham), e entre a série e seus fãs.

São seis palavras simples com um significado muito grande. O que se tornaria a música-tema de Gilmore Girls, “Where You Lead“, foi apresentada ao mundo em 1971 no disco Tapestry de Carole King. Mas antes do retorno com sua filha Louise Goffin em 2000 para a abertura da série com a música que representaria o laço entre uma mãe e filha, “Where You Lead” era sobre o amor de uma mulher por um homem.

“Ela já não se sentia mais à vontade com isso. Não sentia mais que era uma canção empoderadora”.

Co-escrita por King e Toni Stern, a música original possuía na letra a frase “I never thought I could get satisfaction from just one man, but if anyone could keep me happy, you’re the one who can” (“Nunca pensei que ficaria satisfeita com apenas um homem, mas se alguém pode me fazer feliz, esse alguém é você”).

Em uma entrevista por telefone, Goffin contou ao BuzzFeed News que sua mãe “não estava mais cantando essa música com tanta frequência por causa da mensagem ‘apoie seu homem’ que a música passava e ela já não se sentia mais à vontade com isso. Ela não sentia mais que era uma canção empoderadora”.

King não estava disponível para esta entrevista e Stern contou ao BuzzFeed News que quis “manter qualquer mistério acerca da canção que elas escrevemram juntas em vida”. Mas em uma apresentação ao vivo feita em 2004 para o DVD Welcome to My Living Room, King falou o motivo pelo qual ela não se sentia confortável cantando “Where You Lead“. “Após gravá-la para o Tapestry, nós mulheres decidimos que não precisávamos mais seguir nossos homens”, ela disse. “E então a vida ganhou um novo sentido”.

Esse novo sentido veio em forma de Gilmore Girls em 2000. Goffin havia acabado de entrar na maternidade quando sua própria mãe ligou perguntando se ela gostaria de regravar a música para um piloto de televisão. “Gilmore Girls não passava de mais um piloto sendo produzido naquela época”, Goffin relembra. “Ela me ligou e disse ‘Uns amigos meus estão fazendo um piloto sobre uma mãe e uma filha e eles me perguntaram se eu cantaria minha canção ‘Where You Lead‘ com você'”.

Carole King apresenta seu álbum Tapestry no British Summer Time Festival em Londres (Foto: Samir Hussein / Redferns)

Um desses amigos era ninguém menos que a criadora de Gilmore Girls, Amy Sherman-Palladino. Em outubro de 2015 ela contou à Entertainment Weekly que eles estavam procurando por uma música-tema que “soasse clássica e que não havia nada mais clássico do que Carole King”.

Embora Sherman-Palladino achasse que não tinha chance alguma de King topar — “Somos uma série pequena, a gente nem existe de verdade e Carole King é uma lenda”, disse ela à EW —, ela concordou porque adorou a ideia de transformar a música em “algo mais relevante”.

Sam Phillips, a compositora da série (e também responsável por todos os lalalás) revelou por telefone que Sherman-Palladino originalmente convidou Carole King para compor toda a trilha, mas ela se comprometeu apenas com a música-tema.

Goffin revelou que tanto ela quanto a mãe não hesitaram em se envolver com o universo de Gilmore Girls. Elas gravaram a música na antiga casa de Louise em Laurel Canyon, com uma nova letra que dizia “You never know how it’s all gonna turn out, but that’s okay / Just as long as we’re together, we can find a way” (“Você nunca sabe como tudo vai acabar, mas está tudo bem / Enquanto estivermos juntas, podemos encontrar uma saída”). Goffin transformou um quarto velho em um estúdio e uma antiga lavanderia em uma cabine de voz depois de se mudar e construir sua família.

Reprodução / Evening Standard

O processo de gravação foi algo “focado na família em todos os sentidos possíveis”, disse Goffin. “Eu estava gravando a música com minha mãe, o pai dos meus filhos estava produzindo a faixa, e eu estava em uma casa que era meu lar”, contou. “Foi uma ótima experiência fazer daquela forma”.

Com a mudança na letra, a contribuição de sua filha na música e a inspiração em Gilmore Girls, “Where You Lead” de repente tinha um novo significado. “Quando ela estava cantando comigo, deu uma guinada”, disse Goffin. “Ela percebeu que estava cantando a partir do ponto de vista de uma mãe para uma filha, ao invés de uma mulher para um homem”.

No lugar de uma balada “apoie seu homem”, “Where You Lead” ficou associada às relações de amizade entre mulheres, irmãs, mães, avós, tias e tantas outras relações platônicas, porém significativas, centradas nas mulheres. Para Goffin, a música agora é sobre como “não há distância impossível para ficar com seus filhos”.

“A sequência no começo da abertura, onde Lorelai e Rory estão na varanda e Rory encosta a cabeça no ombro de Lorelai, captura toda a essência da música”, Goffin acrescentou. “Encaixa perfeitamente na série e eu acho que funciona como um todo”.

Warner Bros. Television

O tema de abertura de Gilmore Girls não influenciou apenas a forma como as pessoas pensavam sobre a música, mas também permitiu que “Where You Lead” cativasse outras gerações de ouvintes.

“Tive uma backing vocal um pouco mais jovem e ela surtou quando eu disse que cantei a música de abertura”, contou Goffin sobre o momento em que ela percebeu o alcance de Gilmore. “Ela disse ‘O quê? Você está falando da minha infância inteira!'”.

Cerca de um ano depois, Helen Pai, uma das produtoras da série, entrou em contato com Goffin para saber se ela estaria interessada em fazer parte do revival, que estreou em 25 de novembro de 2016 na Netflix.

“Eles disseram ‘Queremos honrar toda nossa família de pessoas que se envolveram na série original e que fizeram parte dela'”, Goffin relembra. “Eles falaram ‘Você faz parte da árvore genealógica de Gilmore Girls‘”.

“Definitivamente, Gilmore Girls é sobre família e convivência, e eu acho que isso tem uma enorme importância e impacto hoje”.

Fazer parte do revival da série é uma experiência que a cantora e compositora descreveu como “incrivelmente especial”.

“Tive a oportunidade de conhecer muitas gente envolvida de uma forma bem pessoal, além das pessoas da produção; sentar durante o almoço nos trailers e ver as pessoas por trás das câmeras envolvidas no figurino”, Goffin disse. “Foi tudo muito mágico para todos, e eu achei surpreendente ser convidada a voltar”.

Louise Goffin e Grant-Lee Phillips durante as filmagens do revival (Foto: Reprodução / Facebook)

Também foi uma oportunidade para ela poder trabalhar diretamente com Amy Sherman-Palladino pela primeira vez. “Eu fiquei simplesmente maravilhada com sua forma centrada em comandar, quem ela é no set da Warner Brothers, e quem ela é em Stars Hollow”, disse. “É um trabalho cansativo e ela foi tão humana dirigindo as câmeras e os atores”.

No revival, Carole King repete seu papel na série original como Sophie Bloom, dona da loja de instrumentos musicais em Stars Hollow, e Goffin aparece cantando em uma esquina na encantadora cidade de Connecticut; ela faz uma pequena aparição como a irmã do trovador da cidade.

Após estar no set para o revival, Goffin disse que começou a rever a série original e finalmente entendeu “porque era tão popular”. “A série é tão humana e tão real”, ela disse. “Acho que irá atingir toda uma nova geração de pessoas”.

“Definitivamente, Gilmore Girls é sobre família e convivência, e eu acho que isso tem uma enorme importância e impacto hoje”, explicou. “Acho interessante ver o que uma família e uma comunidade unidas podem ser, e gosto de ser lembrada disso”.

Leia outras notícias aqui. Siga, também, o #GGBR no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook, ouça nossas playlists no Spotify e se inscreva no nosso canal no YouTube.